Por que é preciso agachar?


O ato de agachar é tão antigo quanto a história do ser humano e tem sido fundamental para o desenvolvimento do homem. O agachamento é um padrão primitivo de movimento, basta observar uma criança se movimentar nos primeiros anos de vida para entendermos esta afirmação. Na medida em que nossa evolução motora se aprimora, começamos adotar mais posições eretas ou sentadas, tanto na escola, como no trabalho e inclusive no lazer. Quem de nós após um dia cansativo no trabalho não sentou no sofá para assistir TV?


Como consequência, nosso corpo parece ter esquecido aquele movimento que uma vez fora tão simples e natural de realizar. Agachar torna-se difícil porque precisamente deixamos de fazê-lo. Mas você deve estar se perguntando: afinal, o que há de grandioso no ato de agachar?


Conceituando


Podemos analisar o agachamento a partir de dois pontos de vista:


1. Como um exercício funcional: quer dizer de grande aplicação e transferência com movimentos do dia a dia, como sentar e ficar em pé, ou levantar algum objeto.


2. Como um exercício complexo: esse requer um alto controle postural e que, se executada repetidas vezes de forma errônea, pode trazer malefícios á saúde.


O agachamento é um movimento multiarticular que envolve o quadril, joelhos e tornozelos. Requer força, equilíbrio, coordenação motora e flexibilidade. Ele ativa a musculatura anterior e posterior das pernas (sim, usamos as coxas, os posteriores da coxa, os glúteos e panturrilhas), assim como também demanda uma alta ativação do core (abdominais, eretores de coluna, trapézio, romboides).


Bem executado ele promove ganho de força muscular, aumento de massa muscular, permite maior facilidade nas tarefas diárias e um aumento da qualidade de vida (a famosa funcionalidade, lembra?).


Como fazer o agachamento de forma correta?


Cada um de nós tem uma bagagem motora, que é composta pelas experiências que tivemos ao longo da vida. Essa bagagem permite a criação dos padrões de movimento, que é a forma única de se movimentar - se cada pessoa agacha de maneira diferente, podemos então considerar o movimento como uma "impressão digital".



Não existe uma receita de bolo para o “bom agachar”. Há, contudo, uma série de caraterísticas que devem ser levadas em consideração, junto com a sua individualidade, para realizar este exercício da melhor forma possível e evitar implicações para as articulações envolvidas e para a coluna.


Largura dos pés, relação entre joelho e ponta dos pés, grau de amplitude do movimento (quanto devo agachar), posicionamento da coluna, joelho valgo ou varo e a introdução de sobre carga externa são os principais pontos a serem cuidados no exercício de agachamento.


A orientação com um profissional da educação física é fundamental para aprender o agachamento de forma correta. Se já faz parte do seu treino, é importante saber se está executando corretamente considerando o seu padrão de movimento.


Se você ainda não realiza agachamento, converse com seu professor, talvez ainda haja alguns aspectos a melhor na sua mobilidade articular ou flexibilidade muscular antes de inserir este exercício.


O agachamento é um exercício apto e benéfico para crianças, adultos e idosos. Inclusive para pessoas com patologias articulares ou problemas na coluna.


Não deixe de se movimentar! Aqui na Incorpore Academia podemos orientar sobre este exercício e outras dúvidas que você possa ter.


Autora do Texto

Micaela

Professora da Incorpore

Incorpore Academia

Rua Jaú Guedes da Fonseca, 142

Coqueiros, Florianópolis

(48) 3304-1775

  • WhatsApp

© 2019 Todos os direitos reservados.

Parceiro

Parceiro Viver Bem