5 grandes mitos da musculação

Já está mais que provado todos os benefícios que a musculação traz para as pessoas. Com a evolução dos estudos científicos nos últimos anos, vimos como ela pode ser adaptada para qualquer um, atendendo a diversos objetivos, como hipertrofia, fortalecimento, emagrecimento e muitos outros. Porém, com a sua popularização, surgiram também alguns mitos que podem criar falsas percepções para as pessoas.


Para não cair no conto popular, veja neste texto os 5 maiores mitos sobre a musculação e entenda qual o lado correto da história. Boa leitura!


Mito 1: Para emagrecer, exercícios aeróbicos são melhores que a musculação

Este é um paradigma que muitas pessoas acreditam e por isso acabam optando, quando buscam o emagrecimento, por outras atividades que não a musculação. A verdade é que um treino de musculação bem feito, devidamente orientado por um profissional que irá estrutura-lo de acordo com o objetivo da pessoa, pode gerar muito mais resultado para a perda de peso e diminuição do percentual de gordura no corpo. Isso porque quando malhamos, além do gasto calórico durante os exercícios, nossas células passam por um período de regeneração (que pode durar dias) e nosso metabolismo acelera para dar conta de recompor tais células, que foram altamente exigidas durante os treinos. Assim, no descanso pós-treino, nosso corpo continua gastando mais calorias em repouso, favorecendo então o processo de emagrecimento. Já nas atividades aeróbicas (corridas, caminhadas, pedaladas, natação, dança, hidroginástica, etc.), nosso gasto calórico é bastante elevado durante a prática dos exercícios, porém nosso corpo se recupera mais rapidamente após o término, não mantendo a queima de calorias por muito tempo. Além do emagrecimento, um treino de musculação ainda nos proporciona o fortalecimento dos músculos, muito mais difícil conseguir quando fazemos somente exercícios aeróbicos.


Mito 2: Quanto mais eu treinar, melhor será meu resultado

Por muito tempo, acreditou-se que quanto mais tempo você ficar dentro da academia levantando pesos, mais resultados você irá alcançar. Entretanto, estudos mais recentes têm provado que isso não é uma verdade e que um treino de 40 minutos pode ser muito mais benéfico que um treino de 90 minutos (caso você não seja atleta). O que vale realmente é adaptar a sua rotina de alimentação e


descanso para que seu período dentro da academia seja muito mais produtivo. Por exemplo: caso o seu treino seja mais focado no fortalecimento do seu corpo de forma geral, para aumentar a sua qualidade de vida, é fundamental corrigir as falhas na sua dieta e ingerir a quantidade (e variedade) necessária de nutrientes para que seus músculos se regenerem de forma correta. Ao mesmo tempo, precisamos ter um bom período de descanso e boas noites de sono para permitir que seu corpo tenha tempo de recuperar as energias. Caso contrário, treinar em excesso, com sessões longas e períodos curtos de descanso, pode resultar na perda de força e massa muscular, ao invés de ganho. Veja abaixo o complemento da explicação para esse assunto:


Mito 3: Treinar em jejum emagrece

Nos últimos anos, muitas pessoas aderiram ao método do jejum antes do treino como forma de emagrecimento mais rápido. Mas cuidado: você pode até perder gordura corporal dessa forma, mas vai acabar perdendo também massa magra (músculos), o que não é recomendável. Isso porque durante a atividade física, nosso corpo utiliza o glicogênio (combinação de moléculas de glicose) como fonte de energia. Essa substância é gerada através da ingestão de carboidratos e então armazenada nos nossos músculos. Durante os primeiros minutos da atividade física, o corpo utiliza a glicose disponível no sangue como fonte rápida de energia, que dura entre 20 a 30 minutos. Caso você se exercite por mais tempo e-/ou em maior intensidade, seus músculos precisarão recorrer a uma reserva de energia maior, que é o glicogênio. Na falta do mesmo, você poderá sofrer lesões, ou pior, perder massa magra por causar a aceleração do processo de oxidação da proteína muscular, causando a perda de músculos. Esse é o famoso overtraining! Portanto, principalmente se seus exercícios forem de maior intensidade (como a musculação), não deixe de fornecer energia para que seu corpo não sinta falta durante ou depois da atividade. Dica: busque sempre o acompanhamento de um(a) nutricionista para saber o que e quando comer, para maximizar os resultados dos seus treinos.


Mito 4: Sentir dores no dia seguinte é sinal de que o treino foi bom

Para quem está começando ou retornando à academia, ou então trocando seu treino por um novo, é normal sentir dores musculares no período de adaptação. Porém, para quem já caiu na rotina, as dores podem ser sinais de que algo está errado. Para muitos, essa dor no dia seguinte ao treino passa uma sensação de que a pessoa está realmente evoluindo, mas nem sempre isso é verdade e, com toda certeza, você não precisa sentir a dor para que os resultados apareçam.


Quando sentimos dor após os treinos, isso quer dizer que nossos músculos foram muito exigidos e precisam ser reparados. Funciona assim: durante os exercícios de musculação, nossos tecidos musculares sofrem milhares de micro lesões, gerando um processo inflamatório e surgindo então as dores musculares tardias, como um mecanismo de defesa (alerta). Para evita-la, devemos respeitar os limites do corpo. Não vá com muita sede ao pote, você pode acabar sofrendo alguma lesão e prejudicar sua performance nos treinos. Quando sentir dores, tente descansar um pouco mais e não exagerar. Afinal de contas, se você tem a orientação de bons profissionais na academia, que trocam seus treinos periodicamente para aumentar sua performance, a dor não é necessária para avaliar sua evolução, basta confiar no seu programa de treinamentos e ver o resultado ao longo do tempo.


Importante: Caso a dor seja fora do padrão e persista por mais de 48 horas, você precisa procurar ajuda profissional para se certificar de que está tudo bem.


Mito 5: Crianças e idosos não devem treinar musculação

Muitos pais acham que a musculação irá interferir no desenvolvimento de seus filhos. Mas na verdade, é bem o contrário. Estudos já provaram que um treino correto ajuda e muito! Entre os principais benefícios que a musculação traz para a garotada (tanto meninos quanto meninas) estão a melhora da postura, melhora do equilíbrio, aumento de estatura, controle do peso, aumento da autoestima e por aí vai!


Da mesma forma, a musculação também é uma forte aliada de pessoas com mais de 50 anos. Na busca por uma melhor qualidade de vida a partir dessa idade, a ida à academia pode ajudar no combate a osteopenia, sarcopenia e osteoporose. Um treino de força se torna muito interessante para esse público, já que o ganho de massa muscular e o aumento da massa óssea irá seu equilíbrio e autonomia nas tarefas do dia a dia, além de proporcionar maior bem-estar a auto estima. Entretanto, alguns cuidados maiores devem ser tomados à medida em que a idade avança. O mais indicado é ter o acompanhamento de um personal trainer que tenha conhecimento de possíveis doenças e limitações, para que seja desenvolvido um treino bastante específico e preserve a saúde dessas pessoas.


Incorpore Academia

Rua Jaú Guedes da Fonseca, 142

Coqueiros, Florianópolis

(48) 3304-1775

  • WhatsApp

© 2019 Todos os direitos reservados.

Parceiro

Parceiro Viver Bem